sexta-feira, 23 de novembro de 2012

"Meus traumas são eles mesmos."

- É que ela tá em uma fase onde tudo que importa é o sarcasmo, o sorvete, a falta de perspectiva e os Black Keys.

- Não é nada disso não, cara. Ela não tá em fase nenhuma e esse é o problema. Ela odeia priorizar. Descobriu isso agora, no auge sangrento dos seus vinte anos. Acha complicado, vulgar e primitivo. E não só pessoas, mas conclusões, momentos e ações também. Se ela estivesse em uma fase, seria a fase das prioridades zero.

- É claro que ela tá em uma fase! Não estar simplesmente não faria sentido nenhum. Olha só o tanto de descrédito que você impõem à ela quando diz que não está em uma fase! Veja bem! Tudo que ela assumiu, carregou e maturou nas costas teria sido em vão, agregando nada e machucando por machucar. As dúvidas universitárias, os erros dos outros, as distâncias impostas, a falta de apego, a agressividade da vida adulta, as sutis traições, as gigantescas burradas, as noites de sexo, as noites sem Guilherme. Tudo isso, somado, tensionado e multiplicado, seria igual a "zero teoria", "zero empatia", "zero lição de vida". É quase ultrajante, sabe?

- Sabia que você ia adotar esse viés, brother. É que ela não pensa assim. Não é sobre "se construir", a vida, pra ela. Tem experiências que marcam, é verdade. Tem traumas, lugares e gente que sempre vão significar alguma coisa ou muito boa, ou muito ruim. Mas é porque todo mundo é assim! É o velho Mundo Trauma, do velho Foucault. Fora isso, é só fluir. Quer um exemplo? Ontem a noite. Se tudo o que anda acontecendo fosse parte priorizada e, como tal, eternamente integrante do sistema dela, ontem a noite teria sido impossível - um sonho, um idealismo bêbado de um subconsciente cansado - no máximo!

- Ontem a noite foi sobre sarcasmo, cara. E falta de perspectiva. E esse amor maldito, enorme e carnívoro que nela habita e por ela decide. Mas as prioridades tão lá... A fase das prioridades tá lá! Apanhando pra caramba, sofrida e sofrível, cansada de viagens e semestres sem fim, almejando caminhos mais fáceis, dias mais prazerosos. Mas elas não secam nunca não. Elas se esticam, talvez até demais, pra atender todas as expectativas do orgulho e dos outros. Mas todo mundo precisa de prioridades.

- Confia em mim, não tem prioridade. Tem hoje, amanhã. Tem uns esqueletos no armário, uma vontade maluca de que as coisas deem certo no final. Sabe o que tem, e muito? Medo. Medo de escolher e possibilitar caminhos errados. Falta o "prioritário". Falta saber quem vale e quem deveria valer mais. Falta certeza no trabalho, na escola e no dia-a-dia. Nada importa menos, mais ou "nada". Ontem? Porra, ontem ela passou o dia com o estomago estrangulado e a noite com o eterno-namorado. Ontem ela achou que ia perder, pra sempre, o caráter, se baixasse a guarda pros monstros-de-novela de todo santo dia. Ontem ela sacudiu um diabo, pra dormir com um ponto de interrogação. Ontem ela escolheu, esqueceu, escolheu esquecer & dormir com ele - não porque ela finalmente "priorizou". Foi porque a onda bateu, o mundo cantou. Não tem fase, e se tiver sorvete, sarcasmo e Black Keys, muito bem. Mas fase, fase não tem não. Tem hoje, e tem amanhã.

Um comentário:

  1. "Apanhando pra caramba, sofrida e sofrível, cansada de viagens e semestres sem fim, almejando caminhos mais fáceis, dias mais prazerosos"

    Espera que eles vem, Vic. Demoram, parece quase uma eternidade, mas eles vem!

    ResponderExcluir