terça-feira, 20 de maio de 2014

Mistério

Toda noite ela pega seu livro de cabeceira e lê seu trecho predileto: a heroína, uma dona de casa de meia-idade, cansada de ser invisível, veste um roupão por cima do maiô, sai caminhando pela orla marítima, entra no primeiro ônibus que pára a seu sinal. E parte para um destino desconhecido. 

Toda noite, o marido chega do futebol com as amigos, lhe tira o livro aberto das mãos, contempla a mulher adormecida e se pergunta: por que ela sorri tão feliz?

Nenhum comentário:

Postar um comentário