quarta-feira, 24 de junho de 2015

bitches beware

Aquele ditado popular que fala sobre reação: ele é o meu preferido.
"Coloca o dedinho na boca dela pra ver se não morde."

Tem gente que o interpreta à favor dos traiçoeiros. Mas eu, talvez um pouco idealisticamente demais, não creio em mordidas dadas sem razão.

Introduções após, apresentando o tema: sou fã número um de quem reage. Passividade tem um limite e, quando esse limite é rompido, um preço muito alto.

Em partes, é porque eu nunca gostei da ideia de ser um alvo fácil. Basta dar uma olhadinha nos posts mais pessoais daqui pra perceber. Só eu tive, durante todos os dias dos meus 23 anos, o direito de me machucar. Isso não significa que sou imune a todo resto - muito pelo contrário. Mas, quando chega a isso, eu tenho reações estrondosas.

E é claro que, mesmo como grande apreciadora e defensora delas, sei melhor do que ninguém das consequências. Ainda assim, prefiro lidar com as consequências à ficar sem reação.

E é mais claro ainda que, às vezes, o capetinha empulerado no meu ombro esquerdo exagera. E me convence a tomar atitudes precipitadas, com requintes de má fé, impaciência e arrogância.

O fato é que eu não me desculpo mais. Foi pra documentar isso que montei esse texto egocêntrico.

Bad bitches will always beware.

Ciao.

Nenhum comentário:

Postar um comentário